Bem-vindo ao site: Ana Giaxa Psicologia Aplicada. CRP 08/6196 e CRP-PJ 08/423

Hábitos de Estudos


7 de julho de 2014, • Ana Giaxa - Destaques, Psicologia e Cotidiano.

Hábitos de estudosTexto instrutivo para iniciar hábitos de estudos.

Direcionado principalmente aos pré-adolescentes, quando a liberdade escolar começa a ser maior que a cobrança direta dos pais e da escola. Quando o aluno precisa conciliar a necessidade de estudar, as solicitações escolares e dos familiares ao seu “jeito de pensar e aprender”.

Pode ser útil quando não se sabe bem usar seu tempo ou não se tem foco no que estudar.
É o primeiro passo.

Para vestibulandos, pode ser um começo e alerta para lidar de forma mais eficaz com o tempo e o cérebro (fazer o que deve ser feito, saber prioridades).

Estudar é uma responsabilidade que podemos adquirir e gostar muito de fazer. Este é um voto!

O texto é denso e longo, vá passo a passo.

HÁBITOS DE ESTUDOS

Vamos começar considerando que:

Hábito é um comportamento (ação, atitude) que temos em função da repetição diária de alguma necessidade ou vontade na nossa rotina. É aquilo que nos acompanha mecanicamente (fazemos tantas vezes, que nem pensamos para iniciar uma ação). O hábito é um comportamento adquirido. Você não nasceu com ele! Aprendeu-o.

Bons hábitos: ações carregadas de resolutividade (dormir mais que 6 horas por noite, escovar os dentes, pentear cabelos, vestir-se, separar roupas limpas das sujas, apagar a luz, cumprimentar as pessoas, ser gentil, ser organizado, ter planejamento, não ser impulsivo, ter parcimônia, respeitar hierarquias e regras, não ser intransigente, etc.,). Enfim, tudo de bom. Pode mudar pelo aperfeiçoamento da ação (saber fazer melhor ou mais rápido) ou substituição (trocar uma atitude por outra). Tenha pelo menos 3 bons hábitos na vida, eleja os mais importantes para você, depois vá acrescentando outros. O aprender coisas boas e novas tem que dar algum tipo de prazer. Por isso, vale a pena! Bons hábitos abrem portas…..

Maus hábitos: ações carregadas de problemas. Ao invés de resolver qualquer coisa, te expõe a criar, aumentar ou piorar o problema que já tem. Embolam a vida, atravancam o dia a dia. Os vícios são exemplos de maus hábitos, mas normalmente estão vinculados às dependências químicas, ou seja, onde o cérebro está intimamente envolvido pelo uso de substâncias. Porém, são também exemplos de maus hábitos, o fato de não ter nenhum planejamento para fazer um passeio, um churrasco, o gasto com hobbies, etc. A contradição envolvida num mau hábito é que você pode querer fazer ou realizar uma coisa ótima, mas não percebe que suas ações não o ajudarão alcançar seus objetivos. São ações que não te ajudam, precisam ser mudadas. Se possível, tenha somente um mau hábito na vida. (Impossível!, mas tente!). São os conhecidos “defeitos”, quanto menos, melhor. Maus hábitos, fecham portas….

Em todos hábitos, o cérebro estará envolvido! O cérebro atende ao estímulo mais forte. Se você tiver bons hábitos, seu cérebro vai se acostumar a fazer coisas que te auxiliam com maior frequência e menos custo (eficiência e eficácia). Se você tiver maus hábitos, o contrário. O cérebro não distingue o juízo de valor nestes casos. Bom ou mal, vai depender do esforço racional, da experiência de vida, contexto social, vontade de amadurecer, ter coerência, etc., isto depende da parte frontal do cérebro para escolher o que é bom ou não para você (juízo e autocrítica). O cérebro FAZ , nestes casos,  o caminho que você repete com mais freqüência. Resta saber se você conhece seus hábitos um pouquinho para começar a se ajudar. Todos conseguimos mudar para melhor. Acredite! Moral da história: o cérebro é extremamente OBEDIENTE!

E para começar a ter hábitos de estudos?

” Dicas para um potencial Diagnóstico”:

  1. Você sabe quantas horas você estuda por dia, além do horário das aulas?
  2. Qual a prova desta semana?
  3. Qual o nome de todas as disciplinas, nomes dos seus professores e dias das aulas?

Se, em pelo menos alguma delas for sim, você não ensinou ainda o seu cérebro sobre a sua rotina de estudo. Ele não sabe que estudar faz parte da sua vida porque não tem esta informação registrada e repetida.

Por onde começar?

  1. Faça uma tabela simples com dias da semana, seus horários de escola,  as matérias, atividades físicas, sociais e de lazer.
  2. Caso não freqüente aulas ou escola formal, tenha ou empreste uma apostila,porque isto será um apoio. Um roteiro é sempre bem vindo. É como um mapa numa cidade desconhecida, pelo menos você saberá onde é o centro da cidade, periferias e saída. Já é um excelente começo.
  3. Comece descansando pelo menos 30 minutos após seu almoço : dê preferência para se deitar, mudar de roupa e calçados, escovar dentes e lavar o rosto. Se você ficar na escola, vá para biblioteca ou veja TV. Converse com alguém. Ou seja, descanse o seu cérebro e o seu corpo. Não use TODOS OS SEUS INTERVALOS  com o celular, computador ou tablets para ficar  jogando, no face book ou Whats App.  Seja mais criativo que isto. Esta atividade usa o raciocínio simples. Todo mundo consegue fazer! Faça a diferença! O seu cérebro é um dos órgãos mais nobres que você tem, não o coloque no lugar comum. Este é um exemplo de MAU USO do cérebro. Você viciou seu cérebro, por isto ele te pede. Diminua gradativamente o tempo que utiliza nestas tecnologias. Mas, quando você utilizá-las para salvar vidas, chamar socorro, informar um cálculo que sua empresa precisa, enviar uma foto de uma ponte ou de um carro de fórmula 1 que você projetou, uma incisão cirúrgica, uma foto tecnicamente perfeita, um vídeo de texto decorado ou encenado, um sistema elétrico,  um maquinário ou mesmo combinar para encontrar pessoalmente um amigo, isto será mais inteligente porque é instrutivo. Mostra um pouco do que você sabe e que compartilha seu conhecimento e sua companhia com outras pessoas. Este é um exemplo de BOM USO desta tecnologia e do cérebro.
  4. Tenha um local fixo na casa para estudar. Pode ser na mesa da sala, desde que tenha pouco barulho (TV ou rádio em som baixo ou se conseguir, estude em silêncio). Se puder ficar num quarto, também ajuda porque dá foco, o importante é não ficar na cama ou no computador ou similares (celulares, ipad, ipod).
  5. Você vai ter que conseguir ficar pelo menos 90 minutos estudando a fio . Sim, uma hora e meia. São  como duas horas de aula! Calma, você consegue! Você faz isso na escola. Ah, não faz!? Vai de óculos escuros ou finge que escuta a professora? Sem problemas, comece em casa a fingir que estuda, porque o que vai valer para o cérebro são as ações de pegar material, buscar local para estudo, folhear os livros e apostilas (repetição).Tudo bem, é  só um começo. Depois você se cansará de fazer de conta e vai querer usar mais inteligentemente este tempo de preparo e , quando menos perceber, vai querer folhear “de verdade” os livros! Moral: comece de algum lugar. Não fique pensando, faça (registre).
  6. Estude uma matéria por dia da semana. Comece por aquela que você tem maiores dificuldades. Sente-se com todo material que você tem na sua casa, ou trouxe da biblioteca da escola. Vale até aquele livro velho  da 5ª série. Começar por conceitos básicos, pode te ajudar a relembrar e pegar o fio da meada. Por exemplo, se você está estudando inglês, aproveite para verificar o significados daquelas palavras que não lembra. Escreva a palavra, seu significado e leia em voz alta para fixar.
  7. Depois da primeira semana ( eu  sei que ninguém tem somente 5 matérias), eu imagino que dedicou um tempo no sábado e no domingo pelo menos para aquelas que você gosta mais e/ou tem mais facilidades!  Sim, o que já sabemos ou gostamos também precisa ser revisado.
  8. Não acredite que todo mundo é bom em tudo! Isto não existe! Podemos ser habilidosos, mas não “gênios e prontos para tudo”. Aliás, ter facilidade, habilidades e inteligência, às vezes, pode ser um verdadeiro vilão na vida, porque achamos que não precisamos nos esforçar.  Tenha sabedoria: reconheça o que sabe, mas saiba principalmente o que não sabe ainda ou tem dificuldades.
  9. Na segunda semana você vai continuar nas matérias que faltaram, mas vai aumentar mais 30 minutos (1/2 hora) e continuar as matérias  que já estudou. Mas evite cansar seu cérebro. Procure não misturar Exatas com Exatas. Por exemplo, estude matemática e história, química com inglês, português  com biologia, física com geografia, etc. E se você tiver 15 matérias? Vai demorar 15 dias seguidos para começar a estudar cada uma. Até conseguir ficar 4 a 6 horas diárias e estudar de 2 a 3 matérias juntas e ficar em dia!
  10. Estude todos os dias, inclusive aos finais de semana. No sábado e domingo pode ser metade do tempo da semana.
  11. Isto é só para criar hábitos de estudos. Estudar precisa ser uma rotina, não um problema.

O que estudar em cada matéria?

  • Você precisa ter ido às aulas para saber sobre o que o professor falou mais;
  • Não falte as aulas: frequentar escola é um bom hábito. É ensinar seu cérebro que você é capaz de fazer coisas responsáveis e necessárias, mesmo sem tanto prazer ou nenhum prazer. Mesmo que a escola seja longe, cara, as carteiras duras de sentar, os professores chatos ou que sua paquera não “tenha olhos para você”. Isto te ajudará no futuro. A isto chamamos de responsabilidade e disciplina.
  •  Não se desculpe com problemas pessoais. Tem gente pior que você! Tem gente melhor que você! É uma lei da vida! Estudar  somente é inviável se você estiver agudamente doente (cefaleia, diarreia, tumor no cérebro, acidente, um parente com doença grave, etc.) fora isto, dá para dar “uma lida” todos os dias.
  • Aliás, ler só, não. LÁPIS , CANETA, CANETINHA, PAPEL. Anote suas idéias! Risque e rabisque. O caderno é seu!
  • Estude por esquemas, gráficos, desenhos. Vá relacionando uma coisa à outra. Aprenda o seu jeito de aprender: olhar, escutar, os dois? Você é mais visual? auditivo? prático? teórico? crítico? passivo? Como você gosta de aprender melhor? Você sabia que isto é diferente em cada pessoa ? Descubra o seu. NÃO VALE, o famoso “eu já sei “. Isto é desculpa para não fazer. Aliás, a maioria dos “brancos” ou apagões são crise passageira de ansiedade, daqueles que estudaram. Não é bom ter “brancos” muito menos não saber o conteúdo (não ter estudado). Seu cérebro é o melhor computador que o homem tenta copiar. Ele não encontra um “arquivo” (conteúdo) que você não estudou (registro). Às vezes, simplesmente não entendemos um conteúdo e temos que ter o esforço e a humildade de procurar  saber. A maioria das vezes, custa dias, noites ou vários pedidos de novas explicações ao professor, ou mesmo reforço escolar, com aulas particulares. Veja o que precisa e use bem o dinheiro dos seus pais ou responsáveis e o seu tempo de vida.

E quando o assunto é o vestibular? Não confunda avaliação de conhecimento, inteligência ou escolha profissional. Vestibular é uma COMPETIÇÃO, portanto classificatória.

Você aumenta suas chances de aprovação quando estão envolvidos:

  • A quantidade de conteúdo que você sabe ( quanto registro o cérebro tem);
  • Estudar independente de ter provas. Aprender deve ser um bom hábito;
  • Abrir mão de atividades de lazer e vida social. Vá passear, mas 1/4 do que gostaria. Estude 75% do seu tempo neste ano escolar. Suponha 8 horas de sono, 5 horas de aula, intervalo de almoço, jantar, academia de 1h, um relax rápido (usando 3 horas). Sobraram 8 horas  divididas por 4. DEDIQUE 6 HORAS POR DIA PARA SEUS ESTUDOS SOZINHO OU EM GRUPO! (incluindo  2 intervalos de 30 min., deu 5 horas, já é muito bom);
  • Fazer vários exercícios de vestibular de todas as matérias. Acompanhe exemplos e entenda o raciocínio;
  • No vestibular não passa só quem sabe, mas também aquele que não perde pontos por bobeira. Você precisa saber o que domina para garantir seus pontos ali;
  • Escolha profissional é um bom motivador, mas não “grava a matéria “, se você não se dedicar;
  • A relação candidato/vaga e o nível de procura da Universidade. Quanto maior, mais preparado você tem que estar;
  • Não queira entender todas as matérias, mas saiba o que está envolvido nos assuntos. Preste atenção nas dicas dos professores de cursinho. Tem enunciados de provas que contém a resposta. Mesmo que você não domine todo conteúdo, preste atenção nestas potenciais e generosas dicas que muitas provas contém. Por exemplo, duvide de textos longos, com muitas informações. Saiba que ninguém vai falar de velocidade ou hidrocarboneto numa prova de português.Ou seja, saiba distinguir as coisas.

Só aprendemos, se fizermos.Entenda estudo como registro de informações no cérebro. Pense nisto: todo verbo indica uma ação. ESTUDAR é uma ação, assim, como fazer abdominal na academia para ficar com a barriga de “tanquinho”. O corpo adora academia, porque modela músculo. O cérebro adora AÇÕES. Ensine ele a estudar.

Vamos à dicas gráficas!

CONTABILIDADE ESTUDANTIL ( como o meu tempo está distribuído?)

TURNOS SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA SÁBADO DOMINGO
MANHÃ Aula Aula Aula Aula Aula Acordar as 9h Estudar
TARDE Academia e estudo Estudo e inglês etc. etc. etc. estudar
NOITE Família, TV, estudo

Colocar suas atividades semanais: qual horários você estuda? descansa? brinca no computador? ouve música, se exercita? conversa com amigos?

Faça resumos: as idéias principais. O que você estudou nesta tarde? Sobre o que o professor falou hoje, ou qual era o primeiro assunto do índice da apostila?

Em português, por exemplo, foi análise sintática? Quais os elementos da oração  e como eles se relacionam? Verbo, sujeito, complementos, etc.

Qual a diferença entre química orgânica e inorgânica? (os hidrocarbonetos, por exemplo, na orgânica)

Gráficos como esquemas

Grafico habitos de estudos

Para finalizar:

  • Confesse que se pudesse ler somente estas duas últimas páginas seria bem melhor, porque está em desenhos, esquemas, menos escritos e não tem tanta informação. Moral da história: o começo é difícil depois tende a melhorar;
  • Dá preguiça entender um texto longo e prolixo. Aproveite para entender redação e português. Como você ensinaria ou explicaria para outra pessoa o que eu te ensinei ou dei de dicas? Faça isto e estará ensinado o seu cérebro a interpretação de texto, atenção, concentração, análise e síntese. Veja quantas palavras novas eu lancei no texto ( resolutividade,parcimônia,intransigente, eficácia, eficiência, evocar) , você já olhou no dicionário?
  • Se proponha a aprender uma nova palavra em inglês e português ao dia. Anote num caderno e siga uma lista de palavras, sinônimos e significados. Aumentei um problema: sinônimo ajuda muito porque, às vezes, esquecemos a ortografia e precisamos substituir para não perder pontos também por escrever errado;
  • Estude sempre com um Dicionário da Língua Portuguesa. Não fique em dúvidas com um palavra. É muito importante sabermos nos expressar na nossa língua;
  • Tenha um Dicionário de Inglês também sempre à mão. Não faça “achismos”, não perca seus preciosos pontos nas questões de vestibular por causa de vocabulário;
  • Veja que o título é: “HÁBITOS DE ESTUDOS”: então não há UM só hábito, e NEM UM só tipo estudo. Observe e aprenda o seu jeito de aprender. As dicas lidas são um roteiro e começo. O seu jeito, pode ser melhor que o meu! Porque ele foi feito com suas horas de estudo, do seu cansaço, dos seus olhos embaçados, dor nas suas costas, irritações e vários rabiscos. Pronto! Parabéns, você aprendeu a estudar. Minha última recomendação: Repita 7 vezes por semana!

 Boa sorte!

Ana Cláudia

 

 

 

 

 

 

 





Comments are closed.